Os 5 Cuidados Necessários Antes de Se Contrair um Empréstimo 

Siga as dicas e pegue seu empréstimo com toda a segurança que você merece.

Os 5 Cuidados Necessários Antes de Se Contrair um Empréstimo 
Por: Da Redação em 09/12/2020

Cerca de 6 milhões de brasileiros contraíram algum tipo de empréstimo durante a pandemia do novo coronavírus.

Essa informação foi retirada da pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios da Covid-19 (Pnad Covid19), realizada no mês de outubro pelo IBGE. O levantamento foi divulgado no dia 1º de dezembro e comprova o impacto na economia familiar nacional.

Em 5,2 milhões (86,67%) dos 6 milhões de lares que a afirmaram ter recorrido à prática, a solicitação foi atendida. Todavia, em 801 mil (1,2%), o empréstimo não foi concedido.

A alta em relação ao mês de setembro foi de 0,8% no número de domicílios. Isso representa uma elevação de cerca de 533 mil no número de domicílios nos quais algum morador solicitou crédito em outubro.

A Região Sul Teve a Maior Procura Por Empréstimo

A região que recusou a maior quantidade de solicitações de empréstimo foi a norte, com uma taxa de 17,5% dos domicílios. A região sul teve a maior procura por empréstimos (9,7%) e também o local com a menor taxa de recusa (apenas 10%) .

O empréstimo pode ser uma medida de controle das dívidas, mas também impacta no planejamento financeiro da família a longo ou curto prazo.

E isso deve ser muito bem executado, já que a mesma pesquisa do IBGE mostrou que o rendimento médio real domiciliar per capita efetivamente recebido em reais no Brasil ficou em R$ 1.310.

Esse valor é 1,7% abaixo do registrado no mês  de setembro, quando o valor era de R$ 1.332. O levantamento constata a desigualdade entre regiões no país. Nordeste (R$ 877) e Norte (R$ 900) apresentaram os menores valores de rendimento médio real domiciliar. .

Vai Pedir Empréstimo? Saiba o Que Fazer 

Mas antes de embarcar naquela sensação imediata de alívio que um empréstimo pode trazer, é necessário se atentar a alguns pontos, tudo para evitar uma dor de cabeça ainda maior no futuro.

Quem explica é Bárbara Coelho, professora da Faculdade Senac, em cinco passos que podem virar até um mantra. As incertezas quanto ao futuro seguem batendo à porta dos trabalhadores nos quatro cantos do Brasil. 

Dica Número 1 – Olho na ‘Venda Casada’

Verificar se o Banco não está fazendo “venda casada”, embutindo no valor total de empréstimo outros produtos bancários, como seguro de vida, seguro residencial, por exemplo. Muitos gerentes montam esse combo, falando para o cliente que “ao fazer um seguro junto com o empréstimo, o banco consegue oferecer uma taxa de juros menor”, porém tal prática é proibida pelo Banco Central. 

Dica Número 2 –  Sabendo o Custo Efetivo da Operação

Verificar o Custo Efetivo Total da operação, ou seja, se a taxa de juros descrita no contrato é a que de fato está sendo cobrada e quais os encargos estão sendo cobrados pelo Banco (IOF, Tarifa de abertura de crédito, etc.)

Dica Número 3 – Atento a Todas as Linhas do Contrato (até as minúsculas)

Leia atentamente o contrato antes de assinar a fim de não encontrar surpresas desagradáveis depois. Ao tomar conhecimento de todas as informações sobre o empréstimo, você fica ciente se há alguma garantia envolvida, qual o valor da multa em caso de atrasos no pagamento e, além disso, se optar por adiantar alguma parcela ou quitar antes do prazo o empréstimo, qual o desconto que deverá ser dado.

Dica Número 4 – Verifique Seu Orçamento e Capacidade de Pagamento 

Verifique se a parcela estipulada cabe no seu orçamento.

O ideal é não comprometer mais do que 20% da sua renda mensal com o pagamento de empréstimo.

Esse cuidado ainda deve ser redobrado no caso de aposentados e pensionistas visto que o banco, muitas vezes, já desconta a parcela do empréstimo direto do recebimento do INSS, ou seja, dependendo do valor da parcela, o aposentado pode não receber quase nada no mês.

Dica Número 5 – Não Feche Com a Primeira Opção Que Aparecer 

Avalie as opções no mercado. Compare as taxas de juros e condições dos empréstimos oferecidos entre diversas instituições financeiras. Com a taxa básica de juros (SELIC) baixa, o momento é ideal para barganhar melhores condições. Ressalta-se, também, os bancos digitais que vem ganhando força tanto em termos de ofertas de investimento (melhor retorno), quanto em termos de empréstimo, com menor burocracia e boas taxas.

Separamos para você os 10 melhores empréstimos pessoais do mercado!

15 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*