Gastar ou poupar? Saiba o que fazer com seu 13° salário

Por: Da Redação em 09/12/2020
13º salário

Além das cestas, clima de afago e uvas passas no arroz, o Natal traz para o brasileiro um adendo em seus vencimentos. Com as festas de fim de ano, é certeza que quem trabalha em regime da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) receberá o 13º salário.

Em tempos de economia complicada é fundamental avaliar com cuidado o destino que você vai dar a esse bônus natalino.

Mas como devo usar meu 13º? Confira nesse post algumas sugestões para poupar e usar seu dinheiro adicional com sabedoria.

O que é o 13º salário?

O 13º salário, também conhecido como gratificação de Natal, foi instituído no Brasil em 1962. Ele é uma remuneração extra, que é paga no fim do ano, ao trabalhador, de forma proporcional ao período trabalhado ao longo do ano.

O valor do 13º salário corresponde a um salário de um mês trabalhado na empresa. Porém, nos casos em que o colaborador tenha sido contratado durante o ano, ele receberá o valor proporcional aos meses trabalhados.

Quando o 13º salário deve ser pago?

O 13º é pago em duas parcelas:

  • A primeira parcela é paga entre fevereiro e novembro de cada ano ou nas férias do contratado, sendo que, nesse caso, ele deverá solicitá-la por escrito ao empregador. Esse adiantamento corresponde à metade do salário recebido pelo trabalhador no mês anterior ao pagamento. O prazo máximo para que o trabalhador receba essa primeira parcela é 30 de novembro.
  • A segunda parcela, por sua vez, deve ser paga até o dia 20 de dezembro. Caso as datas caiam em domingos ou feriados, eles devem ser antecipados para o último dia útil anterior.

É melhor gastar, poupar ou pagar dívidas com meu 13º salário?

Depende. Segundo especialistas, o planejamento do que será feito com o 13° salário deve ser feito com a mesma atenção do que o planejamento do resto do ano.

Na verdade, a forma como esse salário extra vai ser usado acaba sendo um reflexo do que foi feito durante o ano todo. Veja os exemplos abaixo:

1 – Endividado

Se você se endividou este ano, o ideal é que utilize esse bônus para limpar o seu nome.

2 – Sem dívidas e sem reservas

Suponha que você controle seus gastos e não se permitiu ficar inadimplente. Porém não tem nenhuma reserva de emergência, está na hora de criar a sua.

3 – Já tenho reserva

Já tem reserva financeira? Muito bem. Então o que acha de investir seu dinheiro para render ainda mais?

Dicas para usar o 13º

Nesta época do ano sempre compramos presentes para quem amamos, mas precisamos ter cuidado para não ultrapassar nossos limites financeiros e nos atrapalhar depois.

Para ter a certeza de que está usando seu dinheiro da forma correta, siga as dicas abaixo:

Defina prioridades

Sempre temos desejos de consumo, vontade de adquirir algo e acabamos vendo o 13º como a chance de chegar mais perto do objetivo, certo? ERRADO! O 13º deve ser uma forma de por a “casa em ordem”, de equilibrar as contas, pagar os cartões e dívidas.

Por mais tentador que pareça, você deve ao menos tentar resistir as tentações de consumo para poder equilibrar ou ao menos reduzir as atuais dividas

Estabeleça um limite

Coloque um teto máximo de quanto poderá gastar com cada familiar ou amigo que pretende presentear e com as confraternizações. Busque descontos, promoções ou até mesmo compras no atacado para economizar e manter o limite estabelecido por você.

Cuidado com as armadilhas

As compras parceladas nessa época do ano podem ser armadilhas pois suas parcelas se acumulam e dão falsa impressão de que a pessoa não está pagando a despesa inteira, mas o empilhamento de vários parcelados tornam a situação insustentável. O limite do cartão de crédito, muitas vezes, é superior à renda. Por isso, tenha em mente que você não pode ter uma fatura de cartão que supere o que você ganha por mês.

Lembre-se do começo do ano

Todo ano a mesma coisa, as pessoas não planejam certo, gastam o 13º rápido e se esquecem das despesas de começo de ano. Escola dos filhos, IPVA, IPTU, entre outras.

Essas contas apresentam grandes descontos quando são pagas antes do vencimento. Por isso, que tal investir o 13º salário nelas?

A ideia é segurar o salario para quitar tudo de uma vez e ganhar um desconto sobre as “mordidas” que o governo faz.

Dessa forma, você economiza e garante que o restante do orçamento possa ser utilizado no pagamento das dívidas.

Preveja o imprevisto

Não seja pego de “calça na mão”, sempre tenha um fundo de reserva, mesmo que pequeno, para possíveis imprevistos. Problema com veículo, doença na família, qualquer tipo de gastos adicionais não previstos anteriormente e que são urgentes.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*