Cuidado com o FIES

O financiamento de sua faculdade com o FIES precisa de uma atenção especial para não virar um problema. Veja abaixo como proceder para que isso não aconteça

Cuidado com o FIES
Por: Da Redação em 02/06/2019

Talvez o sonho da sua vida seja um diploma para ter mais oportunidades no mercado de trabalho e progressão na carreira. Fazer uma prova para ingressar em alguma faculdade pode ser o desafio mais fácil que você irá encontrar nessa caminhada e você precisa estar atento sobre os valores altíssimos que as faculdades particulares cobram pelo ensino.

Uma das maneiras de vencer esse obstáculo financeiro é o financiamento estudantil. Maneira que muitas pessoas já utilizam assim que se matriculam e não sabem o que os espera depois do curso concluído.

Para te preparar, vamos esclarecer algumas coisas sobre o FIES, antes de você acionar os serviços do credor.

Como a abreviação já diz, fies é um financiamento estudantil que tem o objetivo de liberar um financiamento para os estudantes de curso superior de faculdades particulares e tem ação positiva no MEC. O Fies, tem gerado muitas dúvidas nos estudantes, principalmente porque envolve uma dívida alta e muitos alunos entram nessa sem imaginar o que pode vir depois.

FIES sai caro

Vamos começar falando da principal desvantagem de um financiamento estudantil que é simplesmente o custo de começar o financiamento. Dependendo da faculdade em que escolher cursar, o financiamento pode te deixar com uma dívida altíssima e complicada para quitar. Um exemplo para clarear sua mente é de um curso de engenharia de R$1300,00 a mensalidade que resulta em R$15,600 ao ano. Para formar, você irá calcular 5 anos que dá R$78.000. Essa conta é a mais básica porque não contém reajustes de mensalidade, custo de material, transporte e juros de financiamento. O valor total assusta, né?

O fies e os demais financiamentos estudantis, não garantem o financiamento garantido de todos os anos estudados. Todo o semestre você aluno irá ficar na expectativa se terá o financiamento ou não. As parcelas são baratas para quem consegue, mas o estresse financeiro e emocional pode abalar sua trajetória acadêmica.

Outra questão é que o Fies te oferece reduzir sua mensalidade para pagar por um prazo maior o curso. Isso pode ser o dobro e até mais do triplo do tempo que já seria pago.

Dívidas para décadas

Com o Fies, suas dívidas podem durar 10, 20 ou até mais de 30 anos, sendo que o aluno começa a pagar assim que se forma, com a possibilidade de nem ter conseguido um emprego ainda na área escolhida. Mesmo com uma parcela pequena, pode ser desgastante ter uma mesma dívida por décadas.

Dificuldade em obter outros financiamentos

Como estamos falando de uma dívida a longo prazo, o Fies, por ser uma linha de crédito, pode te privar de obter outros financiamentos. Caso realmente tenha interesse em prosseguir com o empréstimo, saiba que isso pode te comprometer no futuro te deixando sem crédito com outros credores e sem possibilidade de financiar um carro ou imóvel por exemplo.

Trocar de curso ou desistir da faculdade

Se fez o financiamento, ele tem que ser pago mesmo se não terminar a faculdade. Caso queira mudar de curso, você poderá carregar o financiamento com você, mas isso precisa de uma autorização do credor. Esteja decidido do curso em que quer fazer, pagar caro pra desistir não vale a pena!

Juros

Os juros do Fies são altíssimos e podem pesar no seu bolso durante a vida o que te faz ser bem organizado financeiramente para não passar aperto.

Requisitos

Vale lembrar que para ter o Fies o aluno pode precisar estar dentro de alguns requisitos. Alguns deles são: não faltar às aulas, nota mínima, formar em um número anos estipulados, entre outros.

Pagamento

Fiz o Fies e agora, como pagar?

Uma nova atualização do Fies deu “tchau tchau” para a carência de 18 meses para começar a pagar após a conclusão do curso. Ou seja, se você formou hoje, mês que vem você já começa a o financiamento desde que possua renda. Esse pagamento é descontado direto da sua folha de pagamento caso tenha carteira assinada. Por ser um projeto do governo, ele tem total acesso em cruzar informações e consegue descontar direto do seu salário. E para os estudantes que se formaram e não possuem renda ainda, o financiamento será quitado em parcelas mensais equivalentes ao pagamento mínimo. Os juros depende do banco onde assinou o contrato e ele pode te passar mais informações a respeito disso.

O prazo para quitar seu ensino depende também do seu contrato, mas de qualquer forma o MEC dá um prazo estimado de 14 anos para quitar o financiamento.

Bom, espero que essas informações tenha te ajudado a tomar uma decisão. Pesquise mais sobre o Fies e não feche nenhum contrato sem ter todos os valores tim tim por tim tim.
O Fies pode parecer uma ajuda, mas pode se tornar seu pior pesadelo. CUIDADO!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*