O que é o IPCA? Entenda o que é e como o índice pode afetar no seu consumo diário

A variação do IPCA interfere nas suas compras diárias e também nos seus investimentos; saiba mais sobre o assunto na leitura a seguir

IPCA: índice interfere diretamente nas suas compras cotidianas
Por: Keila Baraçal em 23/04/2021

É muito comum ler ou ouvir o termo IPCA em sites, jornais e programas televisivos. No entanto, o que essa sigla significa e quais são os impactos que esse indicador tem na sua vida? 

O IPCA nada mais é do que um indicador muito importante para compreender os fatores que levam à variação no preço dos produtos e serviços. Além disso, esse índice interfere diretamente nos investimentos.

Muitas vezes você se depara com o IPCA sem saber o que ele é. Percebe a oscilação do indicador quando, por exemplo, percebe que sua compra de mercado aumentou de valor – ou ainda, você compra menos e gasta mais.

Quer saber mais sobre esse assunto? Para tirar todas as suas dúvidas, preparamos este texto explicando o que é o IPCA, os fatores que interferem em suas variações e os tipos de investimentos atrelados a esse índice.  

IPCA: o que é? 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é um indicador que calcula a variação dos valores dos produtos e serviços. É considerado também o melhor indicativo da taxa de inflação no Brasil. 

O IPCA é um indicador de extrema importância para a economia, pois seus resultados mostram se os preços tiveram redução, aumento ou se permaneceram estáveis de um mês para outro. Com isso, você pode avaliar se pagou uma quantia maior ou menor nos bens adquiridos. 

Como é calculado o IPCA?

O cálculo é feito todos os meses por meio do levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A metodologia utilizada pelo órgão se baseia na pesquisa de preços em estabelecimentos comerciais, domicílios, prestadores e serviços públicos. 

A IBGE faz essa coleta entre o primeiro e último dia do mês, e, por meio do levantamento, detecta os valores pagos à vista pelo consumidor e as alterações de um período para outro. 

E a inflação anual?

A inflação anual se caracteriza pelo acúmulo no aumento de taxas de preços durante o período de um.  

O IPCA considera quais produtos e serviços? 

O cálculo do IPCA é baseado em diversos bens de consumo e serviços. No entanto, as taxas são distintas para cada item. Veja abaixo os produtos considerados para o cálculo do índice, segundo o IBGE:

  • Alimentação e bebidas
  • Artigos de residência
  • Comunicação
  • Despesas pessoais
  • Educação
  • Habitação
  • Saúde e cuidados pessoais 
  • Transportes
  • Vestuário

Para quem o IPCA calcula a inflação? 

O cálculo do IPCA reflete o custo de vida de uma população bem diversificada, que abrange diferentes cidades e condições socioeconômicas. Ele é feito para famílias que têm renda de um a 40 salários mínimos por mês, que moram em municípios que compõem as seguintes regiões metropolitanas: 

  • São Paulo (SP)
  • Rio de Janeiro (RJ)
  • Belo Horizonte (BH)
  • Vitória (ES)
  • Porto Alegre (RS)
  • Curitiba (PR)
  • Campo Grande (MS)
  • Goiânia (GO)
  • Brasília (DF)
  • Salvador (BA)
  • Recife (PE)
  • Fortaleza (CE)
  • Aracaju (SE)
  • São Luís (MA)
  • Belém (PA)
  • Rio Branco (AC)

O que é índice pessoal de inflação?

Você já deve ter ouvido ou lido em algum lugar sobre índice pessoal de inflação, não é mesmo? Tem dúvidas sobre o que isso? Calma, segue uma explicação bem simples. 

Os seus hábitos de consumo, bem como sua realidade é diferente dos hábitos e realidades das demais pessoas. Sendo assim, seus custos podem ser maiores ou menores do que o restante da população. 

Por exemplo, se você e sua família não consomem carne vermelha e leite desnatado, seu índice pessoal de inflação será menor do que quem consome esses produtos.  

Mas por que o IPCA afeta o dia a dia? 

Há uma série de fatos e vamos explicar aqui. Aliás, você deve estar se questionando: quais fatores influenciam na variação do IPCA? A lógica da oferta e da demanda nos ajuda a entender os motivos que levam à alteração no preço dos produtos. 

Por exemplo, se um produto está em falta no mercado, mas diversas pessoas procuram ele, o preço será mais alto. E vice-versa. Portanto, quando o IPCA sobe, os preços elevam. Quando o IPCA desce, os valores diminuem. 

O aumento ou redução da inflação depende de diversos fatores, como cotação do dólar, clima, safras, custos de produção, mão de obras etc. Além disso, a quantidade de dinheiro circulando contribui para a inflação alta ou baixa. 

O IPCA afeta os investimentos?

É importante saber que o IPCA afeta diretamente os seus investimentos. No entanto, a inflação não vai reduzir dinheiro da sua aplicação. O que ela vai fazer é reduzir o seu potencial de ganho. 

Em um investimento em renda fixa, se o título adquirido tiver rentabilidade anual de 7%, mas o IPCA for de 5%, o seu rendimento será de apenas 2%. Ou se ele for de 10% e a inflação for de 3%, o seu ganho será de 7%. 

Quais são os investimentos ligados ao IPCA?

Os investimentos de longo prazo que têm rentabilidade ligada ao IPCA costumam ser mais seguros e proveitosos. Entretanto, quais são essas aplicações? 

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA é uma boa sugestão para investir o seu dinheiro. Investindo nesse título, você empresta um valor para o governo, para que ele aplique em saúde, educação, infraestrura, e em troca ele te devolve uma taxa de juros combinada com a inflação e um valor prefixado. 

CDB

Esse tipo de aplicação segue a mesma lógica do Tesouro Direto, mas com um banco: ao investir o seu dinheiro em CDB, a instituição bancária utiliza ele para financiar suas atividades. Com isso, terá um retorno a partir de uma parcela prefixada e outra medida pela variação do IPCA. 

LCI e LCA

Esses investimentos seguem a mesma dinâmica dos CDBs. Você empresta o seu dinheiro para o banco e tem a sua rentabilidade atrelada à taxa de juros e variação do IPCA. 

Conclusão sobre IPCA

Entender a dinâmica de funcionamento do IPCA é importante para compreender as mudanças nos preços dos produtos e serviços de um mês para outro. 

Além disso, ajuda você a entender os fatores que interferem nas suas aplicações e, com isso, escolher os melhores tipos de investimento. Tem mais alguma dúvida sobre o IPCA? Pergunte na caixa de comentários que respondemos às suas dúvidas. 

PS: falamos muito aqui no Plusdin sobre educação financeira e, entender sobre IPCA, faz parte do processo.

(Redação: Carlos Bertin)

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*