6 Perguntas e Respostas Que Você Precisa Saber Sobre Um Consórcio

O que é um lance no consórcio? Posso receber o dinheiro do consórcio em dinheiro? Descubra a resposta para essas perguntas e muito mais no texto abaixo.

6 Perguntas e Respostas Que Você Precisa Saber Sobre Um Consórcio
Por: Da Redação em 12/01/2021

O Unum separou algumas das perguntas básicas que sempre aparecem quando uma pessoa se mostra interessada na possibilidade de ingressar em um consórcio para obtenção de um bem ou serviço.

Se inteirar sobre o assunto é extremamente fundamental, já que o serviço vem registrando números expressivos mesmo em meio a pandemia do novo coronavírus.

Dados da Abac, por exemplo (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio), mostram que até outubro de 2020, o Brasil atingiu o total de 2,48 milhões de cotas vendidas no acumulado do ano.

Foi o melhor desempenho dos últimos 10 anos, confirmando o histórico de recuperação rápida do consórcio e sua importância nas atividades econômicas do país. 

O Consórcio é Um Investimento? 

Isso vai depender da finalidade que o consorciado vai destinar ao bem adquirido.

Por exemplo, um trabalhador que ingressar em um consórcio por um  automóvel pode mirar como objetivo a utilização do veículo para transporte de passageiros, no caso, sendo um motorista da Uber. 

O Banco Central define investimento como a aplicação dos recursos que poupamos, com a expectativa de obtermos uma remuneração por essa aplicação.

Pensando nesta definição, o consórcio pode ser, sim, um investimento, já que reúne, em vários casos, essas características.

Ainda tem dúvidas sobre o que é um consórcio? Leia esse post para saber tudo sobre essa modalidade de compra.

Nos últimos anos, o consórcio também passou a ser uma uma ótima opção ao financiamento, que se tornou uma modalidade regida por uma alta taxa de juros compostos. 

Posso Receber o Crédito Do Consórcio Em Dinheiro? 

Ao ingressar na modalidade, a pessoa precisa ter em mente que será contemplada com o crédito para a aquisição do bem, e não ao valor em espécie.

O pagamento é realizado diretamente pela administradora ao fornecedor escolhido pelo consorciado.

Todavia, em alguns casos e seguindo regras estabelecidas, é possível receber o crédito em dinheiro. 

  • A primeira opção é em caso de encerramento do consórcio ou mudança no meio do caminho de valores ou regras do plano adquirido
  • A outra situação está regulamentada pela Circular nº 3.432, expedida pelo Banco Central. Nessa regulamentação, o consorciado tem o direito de receber o dinheiro em espécie após 180 dias desde que tenha quitado todas as suas obrigações financeiras com o plano contratado, ou seja, efetuado o pagamento de todas as parcelas.

          Com esse prazo de seis meses, o consorciado que atende aos requisitos apresentados pode escolher se mantém o crédito, se adquire o                bem ou serviço ou se a preferência será pelo recebimento do valor em dinheiro. 

  • Ele só não estará sujeito ao prazo de 180 dias se o grupo ao qual o consorciado faz parte for encerrado antes. A partir daí, vale a data da última assembleia geral, com a empresa tendo 60 dias para enviar uma carta aos integrantes informando que o dinheiro estará disponível em espécie
  • Ao consorciado que optar pela retirada em espécie, é importante ter em mente que o valor disponibilizado será atualizado até a data da contemplação, somado aos rendimentos financeiros. 

Eu Posso Adquirir Um Bem Abaixo Do Valor Do Consórcio e Usar o Dinheiro Restante? 

De acordo com as normas, caso o consorciado utilize o valor para adquirir um bem inferior ao crédito disponibilizado  a diferença deve ser utilizada, a critério do consorciado, para:

  1. Pagamento de obrigações financeiras, vinculadas ao bem, observado o limite total de 10% do valor do crédito objeto da contemplação, relativamente às despesas com transferência de propriedade, tributos, registros cartoriais e instituições de registro e seguros;
  2. Quitação das prestações vincendas (parcelas restantes e que estão para vencer) na forma estabelecida no contrato
  3. Devolução do crédito em espécie ao consorciado quando suas obrigações financeiras, para com o grupo, estiverem integralmente quitadas. 

Como Acontece a Contemplação Em Um Consórcio? 

A contemplação é quando o bem ou serviço está disponível para o consorciado.

A partir deste momento, o contemplado receberá uma carta de crédito para realizar a aquisição do bem ou serviço até o pagamento final das parcelas.

Isso só é possível porque com o dinheiro disponibilizado por todos os consorciados é possível garantir o crédito. Uma das vantagens do consórcio é o sorteio, que define os contemplados a cada nova assembleia do grupo de consorciados. 

Dessa maneira, é possível que uma pessoa do grupo seja contemplada com o bem ou serviço antes mesmo do pagamento total das parcelas, algo que atrai muitas pessoas na hora de optar por um consórcio.

Os sorteios são realizados em assembleias com a presença da maioria dos participantes e pode seguir os números da Loteria Federal ou um método próprio.

Mas para usufruir da liberação do crédito para a aquisição do objetivo do consórcio, a pessoa precisa estar em dia com o pagamento das mensalidades. 

O Que é Um Lance No Consórcio? 

Essa é a outra possibilidade de aquisição do bem a cada assembleia do grupo.

Nesse tipo de ação, o participante fica apto a oferecer uma quantia para antecipar parcelas futuras e receber a carta de crédito de forma antecipada.

Caberá à administradora a responsabilidade de levantar os lances mais altos ofertados. Caso ocorra um ‘empate’ nos valores, o beneficiado será decidido por meio de sorteio. Só o contemplado poderá pagar pelo lance oferecido. 

Atrasei a Parcela do Consórcio, e Agora? 

Ser inadimplente em um consórcio implica em uma perda considerável, já que você pode ser impedido de adquirir o bem ou serviço em um sorteio, por exemplo.

Geralmente, as administradoras cobram até 1% ao mês e multa de 2% sobre as prestações atrasadas.

O valor base para a cobrança das taxas é calculado a partir do preço atualizado do bem ou serviço contratado no plano.

No entanto, muitas administradoras preferem abrir mão dessa cobrança. O objetivo é estimular o consorciado a não desistir e mantê-lo no grupo.

Então, o melhor caminho a se tomar quando uma parcela ou várias estão em atraso é se reunir com sua administradora e buscar uma negociação da dívida, garantindo seus direitos. 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*