Previdência privada: tudo o que você precisa saber

Todo mundo merece ter o devido descanso depois da aposentadoria; a previdência privada pode te ajudar a ter a vida financeira mais tranquila nessa fase

Por: Da Redação em 18/06/2021
previdencia privada

Quem não quer ter a vida financeira organizada, não é mesmo? Planejar o futuro, cumprir objetivos e levar uma vida tranquila. Tudo isso exige dinheiro e um bom planejamento financeiro. Até mesmo depois da aposentadoria, precisamos estar preparados para ter dinheiro no futuro. 

Em termos de aposentadoria, as pessoas lembram na hora do INSS. Mas você sabia que essa não é a única opção? Para poupar dinheiro para aproveitar a terceira idade, muitas pessoas acabam apostando em previdência privada. Essa é uma forma considerada mais segura para garantir o seu futuro. 

O que é Previdência Privada?

Ao contrário do que o nome diz, a previdência privada não é uma tipo de investimento exclusivo do trabalhador e muito menos você só terá acesso após a aposentadoria. Na verdade, é um modalidade de investimento a longo prazo, por isso o nome de previdência privada.

Geralmente, as pessoas escolhem essa modalidade porque têm objetivos como aposentadoria ou uma liberdade financeira. Então é tipo de aplicação para quem se prepara para o futuro.

Como funciona a previdência privada?

Muitas pessoas possuem dúvidas em relação à previdência privada, justamente por conta da falta de informação. Mas, basicamente, ela funciona como a previdência comum pública, na qual você contribui com o INSS para poder se aposentar. 

Em alguns casos, as pessoas substituem a previdência pública pela privada por inúmeros motivos. No entanto, a previdência privada também pode ser complementar com a pública. Por mais que pareça demorada a aposentadoria, o ideal é se prevenir para ter uma boa vida financeira quando esse momento chegar. 

O plano de previdência é quando você adquire uma espécie de pacote de aposentadoria, onde você guarda fundos para quando a hora de se aposentar chegar. Os planos envolvem tempo de pagamento e até mesmo qual a renda que você quer receber quando terminar de pagar o plano. Muito parecido com a previdência pública, certo?

A diferença é que você não possui restrição de idade e basicamente não conta com restrição de tempo de contribuição. Logo, a previdência privada se torna uma opção mais flexível do que o INSS. Porém, vale lembrar que, ainda assim, contribuir para a previdência pública, por conta de outros benefícios que você pode adquirir. 

Para quem a previdência privada é indicada?

Até alguns anos atrás, as relações comuns de trabalho envolviam carteira assinada e contribuição com o INSS. Porém, com a chegada dos aplicativos, agravamento da economia e pandemia, muitas pessoas recorreram aos trabalhos autônomos ou que não possuem vínculo empregatício. 

Dessa forma, a contribuição ao INSS passou a ser um pouco mais complicada para algumas pessoas. Dessa forma, a procura pela previdência privada cresceu, como uma alternativa à pública. 

Logo, a previdência privada é indicada para qualquer pessoa que queria substituir ou complementar a aposentadoria pública. Além disso, também é indicada aos trabalhadores autônomos, que não possuem vínculo empregatício via carteira assinada. 

Quais as vantagens e desvantagens?

Vantagens

  • Maior segurança e renda para o futuro
  • Complementar a previdência social
  • Manter o estilo de vida após aposentadoria
  • Liberdade financeira
  • Aposentadoria para não contribuintes do INSS

Desvantagens

  • Taxas de administração: Taxa cobrada pela gestão do ativo.
  • Taxa de saída: Taxa caso o contratante saia antes do período combinado.
  • Taxa de carregamento: Cobrada a cada aplicação extra no montante.

Quando começar a investir? 

Outra dúvida que muitas pessoas possuem é em relação a quando contratar uma previdência privada. Não existe uma data certa, mas uma coisa é certeza: quanto antes, melhor. Assim, você pode aumentar ainda mais sua reserva financeira.

Sabia que você pode investir em uma previdência privada para o seu filho, por exemplo? Não existe uma idade mínima para começar o plano de previdência privada. Basta apenas que a criança já possua um CPF e hoje em dia, isso já acontece ainda na maternidade, na hora do registro. 

Em tese, também não existe uma idade máxima. No entanto, o tempo mínimo de contribuição da previdência privada deve ser de pelo menos 8 anos. Com essa informação, já fica um pouco mais fácil para se organizar. 

Então, se você quer saber qual é o melhor momento para investir na previdência privada, esse momento é agora. 

Em média, o valor mensal de uma previdência privada é de R$200 a contribuição. No entanto, esse valor pode variar de acordo com o valor que você deseja acumular no final. Começando a investir com 20 anos e definindo um valor como meta, a parcela será bem menor do que começar a investir com 25, buscando alcançar o mesmo valor no final. 

Além disso, quando você começa a investir na previdência privada ainda jovem, pode encontrar planos que oferecem R$50 de contribuição inicialmente. Sim, o valor das parcelas pode sofrer alteração, de acordo com a idade que você inicia o investimento. 

Previdência privada X INSS: qual é melhor? 

Ao falarmos de previdência privada, pode-se pensar que é necessário escolher a melhor opção. No entanto, essa ideia basicamente não existe, pois uma aposentadoria não anula a outra. No caso, você pode garantir uma aposentadoria muito mais confortável se investir nas duas. 

Inclusive, é até recomendado que você continue contribuindo com o INSS, pois além da aposentadoria, você garante outros direitos, como o auxílio doença, por exemplo. Logo, você não precisa escolher entre as duas. 

No entanto, com o atual sistema de previdência pública, muitas pessoas podem acabar demorando para conquistar a sua aposentadoria por meio da previdência pública. Dessa forma, a previdência privada se torna uma boa alternativa para você conquistar sua liberdade financeira na terceira idade, de forma mais rápida.

Além disso, é importante saber que você pode contribuir com o INSS mesmo estando desempregado. Esse método ocorre por guias de pagamento. Além disso, autônomos também podem fazer contribuições ao INSS. Logo, não se sinta limitado apenas a estar registrado para contribuir com o INSS. 

Quais os melhores planos de previdência privada? 

Planos de previdência privada existem aos montes, mas o importante é saber pesquisar para encontrar o melhor plano que atenda suas necessidades e que também esteja de acordo com a forma que você pode pagar. 

Você pode encontrar planos de previdência privada nos bancos tradicionais, como Bradesco, Itaú, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, por exemplo. Se você já for cliente de um desses bancos, pode encontrar condições ainda melhores para contratar a sua previdência privada. 

Caso não queira contratar em bancos, existem outras empresas que trabalham oferecendo planos para sua aposentadoria. Dentre elas, tem a Porto Seguro, XP Investimentos, BTG Pactual, além de muitas outras. 

O importante é encontrar um plano que se assemelhe ao que você precisa. Então, se você quer investir em uma previdência privada, pesquise e comece hoje mesmo o seu planejamento. Quanto antes, melhor.

Conclusão

Basicamente a previdência privada é um investimento perfeito para quem quer planejar o futuro a longo prazo e que serve para praticamente qualquer pessoa.

Apesar de todas as suas vantagens, devemos ficar muito atentos as taxas e fazer os cálculos muito bem antes de contratar o serviço. Afinal, você será afetado diretamente por essa decisão nas próximas décadas. Então não saia por aí contratando qualquer previdência privada. Pense, analise e analise novamente.

E aí, te ajudamos a entender melhor a previdência privada?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*