Salário bruto: entender a fundo a diferença ajuda a organizar suas contas

Por: Da Redação em 26/05/2021
Salário bruto

Imagine a seguinte situação: você é contratado para um novo trabalho, depois de semanas passando por um processo seletivo. Ao conversar com um funcionário da equipe de recursos humanos, ele informa qual será seu salário.

Tudo ok com esta nova oportunidade, você começa a trabalhar. Logo no primeiro mês na nova função, você faz planos e gastos no cartão de crédito, já pensando que parte dos seus honorários será utilizado para pegar essas despesas. 

No começo do mês seguinte, você recebe um valor bem abaixo do esperado. O valor, em resumo, é muito inferior ao que havia sido prometido a você e descrito como salário bruto. Com parte do seu salário comprometido, você inicia o segundo mês de trabalho com dívidas. 

Como você pode evitar esta situação? Leia nesse post tudo que você precisa saber sobre a diferença entre os salários.

O que é salário bruto?

Muitas pessoas fazem confusão e não entendem que o rendimento do salário bruto é diferente do salário líquido. 

Esse tipo de situação acontece tanto com pessoas que conseguiram o primeiro emprego e com pessoas experientes e instruídas, que num momento de dificuldade financeira acabam invertendo a lógica entre os dois, pensando que irão ganhar, por exemplo, R$ 3.000 quando o salário real, líquido, será de R$ 2.700, R$ 2.500. 

Contudo, preparamos uma série de dicas para ajudar você e outras pessoas que talvez tenham dúvidas e precisam de ajuda para compreender a diferença entre salário bruto e líquido, ou que querem organizar as suas contas a partir do valor do salário bruto. Assim, aqui você vai aprender:

  • A diferença essencial entre salário bruto e o líquido;
  • Como calcular o desconto do salário bruto; 
  • Como se educar financeiramente tendo como norte o salário bruto;

Como ele vira vencimento líquido?

Para irmos direto ao ponto, nada melhor que um esquema básico para entender a diferença entre o salário bruto e o salário líquido:

Salário bruto: também chamado de salário base, o salário bruto mensal é o montante de dinheiro que um funcionário recebe da empresa sem considerar parte dos descontos de impostos e outras contribuições.

Salário líquido: basicamente é o valor final da remuneração mensal, o montante financeiro que o funcionário recebe da empresa considerando contribuições de impostos obrigatórios e opcionais. 

Um exemplo ajuda a ilustrar melhor essa distinção entre os dois. Digamos que no seu holerite, o salário bruto acordado entre você e a empresa é de R$ 3.700.

No entanto, é preciso se atentar no documento, e quando é feito um acordo salarial entre o funcionário e a empresa, qual o valor final do vencimento.

No exemplo descrito acima, com um salário bruto de R$ 3.700, a empresa pode descontar R$ 240 de INSS e R$ 50 de imposto de renda (IRRF).

Desse modo, no salário líquido, o vencimento final que você receberá será de exatos R$ 3.410. Assim, ao longo do mês, você precisará se educar financeiramente para administrar uma renda de R$ 290 a menos do que o registrado no valor do salário bruto. 

Rendimento final: como fazer o cálculo de desconto do salário? 

O desconto do salário bruto para o salário líquido está condicionado ao valor da alíquota que o governo recolhe de impostos na folha de pagamento.

Em outras palavras, o desconto feito no salário bruto é transferido para os cofres públicos por meio de arrecadação de tributos. Atualmente, levando em consideração a alíquota de abril de 2021 do INSS, observe os descontos do salário bruto para o líquido:

  • Quem ganha até R$ 1.100, a alíquota é de 7%. 
  • Quem recebe de R$ 1.100,01 até R$ 2.203, 48, a alíquota é de 9%
  • Pessoas com vencimentos de R$ 2.203,49 até R$ 3.305,22, a alíquota é de 12%
  • Já quem ganha de R$ 3.205,23 até R$ 6.433,57, a alíquota é de 14%. 

Na prática, para você saber o quanto o seu salário bruto realmente vai render no final do mês, é necessário descontar a porcentagem da sua alíquota. Neste caso, exemplificamos a alíquota do INSS. Contudo, outros impostos e contribuições fixas e opcionais podem reduzir o valor do salário, seja com contribuições por setor, categoria ou através de impostos federais e estaduais. 

O mais importante, é considerar que há uma previsibilidade no cálculo da alíquota e que, comumente, quem ganha um salário maior paga uma porcentagem maior de alíquota. 

E agora? Como orientar minhas finanças?

Normalmente, milhares de pessoas são recomendadas a fazer o cálculo de suas finanças pessoais considerando o valor do salário líquido, já que este é o vencimento final que poderá ser utilizado realmente no dia a dia. 

Sem desconsiderar essa abordagem da educação financeira, é importantíssimo também calcular os rendimentos financeiros a partir do salário bruto. O motivo é simples: ao fazer uma leitura mais técnica dele, você sabe o quanto está pagando de imposto e de demais contribuições.

Posto de outro modo, calculando todos os pontos e alíquotas do salário bruto, você sabe para onde o seu dinheiro está realmente indo. 

Além disso, a partir da leitura mais analítica e precisa do valor mesmo, você terá uma dimensão mais próxima da realidade, avaliando qual será seu vencimento, podendo, a partir desse conjunto de informação, dimensionar suas finanças a partir do salário líquido, como propõe a maior parte das recomendações de finanças pessoais. 

Em síntese, as duas perspectivas de cálculo financeiro podem ser feitas, com o salário bruto e o líquido. Uma não descarta a outra. Além disso, saber o quanto realmente você recebe, e o quanto é descontado do salário bruto, ajuda a negociar um reajuste com o empregador num futuro próximo. 

(Redação: Luis Gabateli)

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*