Cobrança de seguro em empréstimo: como funciona, quando é cobrado e como resgatar

O seguro prestamista te ajuda a quitar suas dívidas em momentos difíceis. Saiba como

Por: Gustavo Marlieri em 09/06/2021
Seguro em empréstimo

Você alguma vez já contratou um empréstimo e recebeu uma proposta de seguro? A inclusão de seguro em empréstimo é uma prática bastante comum no mercado, pois é um importante aliado tanto de quem precisa do dinheiro quanto de quem concede o crédito.

O principal objetivo do chamado seguro prestamista, que é a modalidade aplicada aos empréstimos, é garantir que a pessoa que solicitou o crédito possa quitar a dívida, mesmo diante de algum imprevisto. Isso gera mais segurança para as partes envolvidas e torna menos burocrática a contratação do crédito.

Assim, se você quer saber tudo sobre o seguro em empréstimo, continue conosco e confira este post até o final.

Para que serve o seguro em um empréstimo?

O seguro em empréstimo também é conhecido como seguro prestamista e a sua principal função é dar segurança às operações de crédito.

Com ele, o segurado pode ter a quitação total ou parcial da dívida caso ocorra algum imprevisto durante o pagamento das parcelas.

Dessa forma, você evita ficar inadimplente caso ocorra uma perda ou redução súbita de renda ou mesmo de deixar dívidas para seus sucessores no caso de morte. Mas é importante conhecer as regras que envolvem esse seguro e saber quando ele pode ser contratado. É o que te contaremos a partir de agora.

Quem pode contratar?

Qualquer pessoa que efetua uma compra parcelada, solicita um empréstimo ou faz um financiamento pode contratar o seguro prestamista.

Muitas instituições financeiras são parceiras de seguradoras para oferecer esse serviço junto com o crédito concedido, contudo, também é possível escolher uma seguradora para solicitar o seguro em empréstimo.

Vigência

Em regra, a vigência de um seguro prestamista varia de acordo com o tempo da dívida assumida. Ou seja, se você contratou um empréstimo para pagar em 72 meses, por exemplo, o seguro irá valer até a data de quitação da última parcela.

No entanto, é possível que você precise renegociar a dívida ao longo desse período. Caso isso aconteça, basta realizar o endosso no seguro e recalcular o valor do prêmio e do capital segurado para ampliar a sua vigência.

Quando o seguro prestamista pode ser acionado?

Como você viu até aqui, o seguro em empréstimo tem o objetivo de quitar a dívida caso o segurado não possa mais fazer isso. Dessa forma, o seguro prestamista pode ser acionado em algumas situações específicas, tais como:

  • Morte do segurado;
  • Invalidez (que pode ser permanente ou temporária);
  • Desemprego involuntário;
  • Perda da renda do segurado;
  • Incapacidade temporária; e
  • Ocorrência de doenças graves.

Por outro lado, o seguro prestamista não cobre casos de desemprego voluntário (pedido de demissão), afastamento do trabalho por doenças pré-existentes, parto ou aborto, além de parcelas vencidas ou em atraso sem justa causa.

O que influencia o valor do seguro?

Primeiramente, é importante lembrar que chamamos de “prêmio” o valor que você paga por um seguro. No caso específico do seguro prestamista, os dois principais fatores que influenciam no valor desse prêmio são o valor do capital segurado e a taxa do seguro, algo semelhante ao que ocorre nos seguros de vida.

A idade do segurado também é um fator que pode influenciar no valor do prêmio. Assim, o seguro de uma pessoa com idade mais avançada pode ser maior do que a de uma pessoa de meia idade, isso por conta da maior probabilidade de acionamento em caso de morte do segurado.

Como resgatar o seguro do empréstimo?

Diferentemente do que acontece com os demais seguros, no caso do seguro prestamista, o resgate não é feito pela pessoa do segurado, mas sim pela instituição financeira que concedeu o crédito.

Por isso, caso ocorra algum sinistro, assim que for informado do evento, é o banco ou a financeira quem irá resgatar o valor do seguro para quitar a dívida.

Vale lembrar que há casos em que o valor da dívida no momento do sinistro é menor do que o valor da indenização paga pela seguradora. Em situações como essa, após a quitação da dívida, a diferença será entregue ao segurado ou a seus sucessores, conforme dispõe a lei.

Perguntas frequentes

Algumas dúvidas são comuns quando o assunto é o seguro em empréstimo. Por isso, selecionamos algumas das mais frequentes para que você possa ter mais segurança sobre o assunto.

O banco pode cobrar seguro no empréstimo sem o meu conhecimento?

Não. Tal atitude configura prática abusiva nos termos do Código de Defesa do Consumidor e, portanto, não pode ocorrer.

Lembre-se que o seguro é vantajoso tanto para a instituição financeira quanto para quem pede o empréstimo. Por conta disso, é muito comum que essas instituições trabalhem junto a seguradoras parceiras que oferecem o seguro prestamista.

No entanto, o cliente tem liberdade para contratar ou não o seguro e deve ser informado, de uma forma clara, de todos os custos incluídos em seu contrato.

O que é seguro-fiança em um empréstimo?

Algumas modalidades de empréstimo bem específicas podem exigir que você apresente um fiador (ou avalista) para que o dinheiro seja liberado. Mas esse não é um pedido comum na maioria dos empréstimos pessoais disponíveis no mercado brasileiro.

Na realidade, a exigência de um depósito prévio (ou seguro-fiança) para a liberação de crédito pode ser, em muitos casos, sinal de que você está prestes a cair no chamado “golpe do empréstimo”.

Por isso, sempre desconfie de ofertas de crédito mirabolantes e de empresas que pedem para que você deposite valores adiantados para receber um empréstimo, pois essa é uma prática que não existe entre as instituições financeiras que operam conforme as normas do Banco Central.

O que acontece com meu seguro se eu liquidar o empréstimo com antecedência?

Caso você consiga fazer a quitação antecipada da dívida, o valor do prêmio proporcional ao período que ainda resta deve ser devolvido pela empresa responsável pelo seguro.

É obrigatório contratar seguro em empréstimo consignado?

Essa é uma dúvida muito comum entre aposentados, pensionistas e servidores públicos que estão prestes a contratar um empréstimo consignado, pois, em alguns casos, o banco ou financeira pode solicitar que seja contratado um seguro prestamista antes de liberar o crédito.

No entanto, cabe ressaltar que essa é uma prática abusiva e que pode até mesmo configurar venda casada. Isso porque o seguro prestamista não é obrigatório em nenhum tipo de empréstimo, diferentemente do que acontece nos contratos de financiamento imobiliário, que não são fechados sem a contratação desse seguro.

Como cancelar meu seguro?

Você pode cancelar o seguro prestamista em algumas situações específicas, tais como os casos em que a instituição financeira te induziu a contratar o seguro sem necessidade ou quando você não recebeu adequadamente as explicações sobre o seu funcionamento.

Nesses casos, o cancelamento pode ser solicitado junto à seguradora ou, a depender da situação, talvez seja interessante buscar auxílio jurídico.

Ainda tem alguma dúvida sobre o seguro em empréstimo? Escreva para a gente aqui nos comentários e conte com o Plusdin se precisar de ajuda para contratar o seu empréstimo. Não se esqueça de compartilhar este post com seus amigos e ajude a espalhar a boa informação.

4 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*