Tabela SAC x Tabela Price: qual é a melhor na hora de pedir um empréstimo?

Saiba o que são os sistemas de amortização e como escolher o melhor para o seu empréstimo

Por: Gustavo Marlieri em 28/05/2021
Tabela SAC

Se você já pegou um empréstimo ou está procurando por um, talvez já tenha se deparado com a chamada tabela SAC e a Price, seja ao ler um contrato ou aquelas letrinhas miúdas no final dos anúncios. Mas você sabe o que isso significa na prática?

SAC e Price são sistemas de amortização que se aplicam aos empréstimos e financiamentos bancários e servem para definir a forma como o débito será pago ao longo do tempo.

É bastante comum que as pessoas fiquem com dúvidas ao ter que escolher entre uma ou outra. Por isso, nós do Plusdin preparamos este post especial com as principais diferenças entre a tabela SAC e a tabela Price para que você faça a melhor escolha. Confira!

O que é a tabela SAC?

Antes de entrarmos nessa explicação, é importante que você compreenda que as parcelas de um empréstimo são formadas por duas partes distintas: juros e a amortização, sendo esta última a parte que é abatida efetivamente do saldo devedor.

A tabela SAC (Sistema de Amortização Constante) nada mais é do que um sistema de amortização em que o valor a ser abatido do saldo devedor se mantém constante ao longo de todo o prazo de financiamento, com o detalhe de que o montante dos juros vai caindo com o passar do tempo.

Não entendeu? Nós explicamos:

Imagine que você contratou um empréstimo de R$ 10.000,00 dividido em parcelas de R$ 278,00 e com uma taxa de juros de 1% ao mês utilizando a tabela SAC.

No primeiro mês, como a taxa incidirá sobre os R$ 10 mil, os juros da operação serão de R$ 100,00, logo, o valor que você pagará ao banco será de R$ 378,00, ou seja, R$ 278,00 da amortização e R$ 100,00 de juros.

No segundo mês, como o saldo devedor diminuiu em R$ 278,00, os 1% de juros serão calculados sobre R$ 9.722,00. Logo, a segunda parcela será um pouco menor em função da redução do montante sob o qual incidem os juros. Ou seja, você pagará R$ 375,22 ao banco.

Isso se repete ao longo de todo o parcelamento e, dessa forma, quanto mais próximo do final, menor será o valor mensal que você pagará ao banco. Assim, o valor da última parcela será sensivelmente menor do que o da primeira.

Principais benefícios da tabela SAC

  • As parcelas vão diminuindo ao longo do tempo;
  • Na medida em que se amortiza o saldo devedor, os juros da operação são reduzidos;
  • Mais tranquilidade ao final do parcelamento, visto que as parcelas passam a pesar menos no bolso.

Como a tabela Price funciona?

A tabela Price é um outro sistema de amortização muito popular no Brasil e que é utilizado na maioria dos financiamentos de bens de consumo, veículos e também nos empréstimos e crediários em geral.

O método Price surgiu ainda no século XVIII e hoje é amplamente difundido em todo o mundo.

A principal característica dos empréstimos e financiamentos feitos com a tabela Price é que as parcelas são fixas, diferentemente do que acontece quando se utiliza a tabela SAC.

Ou seja, o valor que você paga é o mesmo do início ao fim, contudo, as parcelas ainda continuam possuindo juros e amortização em sua composição.

No sistema Price, as primeiras prestações são compostas majoritariamente por juros. Na medida em que você paga o financiamento, o valor de amortização dentro de cada parcela aumenta e, consequentemente, os juros diminuem. É por isso que o método Price também é conhecido como “amortização crescente”.

Como é feito o cálculo pela Price?

Imagine que você tenha feito um empréstimo no valor de R$ 90 mil a uma taxa de juros de 1% ao mês e pagamento em 60 parcelas.

Nesse caso, tomando como base a tabela SAC, a amortização na primeira parcela será de R$ 1.500,00 e a esse valor é acrescido o valor dos juros mensais, que será de R$ 900,00. Isso forma uma parcela de R$ 2.400,00.

Como a sua parcela é fixa, no segundo mês você também pagará os mesmos R$ 2.400,00, contudo, a composição dessa parcela terá mudado.

Como você já amortizou R$ 1.500,00, o seu saldo devedor agora será de R$ 88.500,00. Logo, os juros do mês serão de R$ 885,00, sendo necessário amortizar R$ 1.515,00 para formar os R$ 2.400,00 da parcela.

Ou seja, quanto mais o tempo passa, menor será o saldo a amortizar e, consequentemente, menores serão os juros dentro da parcela.

Principais benefícios da tabela Price

  • Prestações fixas;
  • Possibilidade de antecipar as últimas parcelas;
  • Maior previsibilidade e maior controle de suas dívidas, uma vez que o valor da parcela não sofre alteração ao longo do financiamento.

Quais são as principais diferenças entre as duas tabelas?

Como você viu até aqui, as principais diferenças entre as tabelas SAC e Price residem na forma como os juros incidem e no valor das parcelas ao longo do financiamento.

No caso da tabela SAC, você começa pagando um valor maior e termina pagando um valor menor. Já na tabela Price, como as parcelas são fixas, você pagará o mesmo valor do início ao fim do empréstimo.

Além disso, outra diferença importante é que ao antecipar as últimas parcelas de um empréstimo ou financiamento feito usando a tabela Price, você ainda pode receber um belo desconto por parte do banco ou financeira.

Como calcular o saldo devedor?

Primeiramente, é importante lembrar que o saldo devedor nada mais é do que o saldo total de uma dívida, acrescido dos seus respectivos juros. Na medida em que você paga as parcelas mensais, esse saldo devedor vai diminuindo até chegar a zero.

O cálculo do saldo devedor é diferente em cada um dos sistemas de amortização, assim como você pôde observar nos exemplos que citamos acima. A principal diferença consiste na composição da parcela, entre juros e amortização.

É preciso ter cuidado em empréstimos que são corrigidos por índices de inflação, como é o caso do IPCA. Isso porque a flutuação desses índices também pode alterar o valor das parcelas no sistema SAC, fazendo com que elas sejam maiores ou menores a cada mês.

Tabela SAC x tabela Price: qual vale mais a pena?

Agora que você já conhece as principais diferenças entre esses dois sistemas de amortização, talvez você tenha se perguntado: “qual deles é o melhor para mim?”

A resposta à essa pergunta é bastante subjetiva, pois a escolha de um sistema de amortização perpassa por diversos aspectos, inclusive, pela análise do perfil de cada consumidor.

Ou seja, se você possui uma boa condição financeira no momento e tem condições de arcar com parcelas mais altas no início para ter uma folguinha no final do empréstimo, vá de tabela SAC.

Já se você precisa organizar o seu orçamento e deseja ter uma maior previsibilidade de quanto pagará mensalmente, vá de tabela Price. Além disso, essa tabela também é uma boa opção para quem tem a previsão de receber uma grana extra no futuro, pois esse recurso pode ser utilizado para quitar as parcelas finais com desconto.

Ficou com alguma dúvida sobre a escolha das tabelas? Escreva para a gente aqui nos comentários e conte com o Plusdin se precisar de ajuda para contratar o seu empréstimo.

2 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*