Consórcio Vale a Pena?

Modalidade de investimento registrou recorde em plena pandemia 

Consórcio Vale a Pena?
Por: Da Redação em 10/01/2021

Engana-se quem pensa que os consórcios no Brasil estão em queda com a pandemia. O processo vem sendo justamente o inverso. Essa modalidade é considerada um dos melhores investimentos dos últimos anos.

Ideal para quem deseja aplicar sem se descapitalizar, pagando ainda parcelas que cabem dentro do orçamento, os consórcios vêm atraindo cada vez mais pessoas.

De janeiro a novembro do ano passado, 2,77 milhões de cotas de consórcio foram vendidas, um recorde para o setor, já que representa uma taxa 4,9% superior à do mesmo período de 2019. 

Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio (Abac), que ainda apontou um volume financeiro de R$ 150,53 bilhões, expansão de 23,4%.

O número de consorciados atuais no Brasil é de 7,71 milhões, que contribuem para um tíquete médio da cota na ordem de R$ 63,78 mil. 

Para Que Tipo de Bens, as Pessoas Aderiram aos Consórcios em 2020? 

A Abac listou os bens que mais atraíram os 2,77 milhões de novos adeptos da modalidade de consórcio em 2020: 

  • 1,21 milhão foram de veículos leves (crescimento de 4,3% sobre o mesmo intervalo de 2019); 
  • 955,51 mil de motocicletas (alta de 2,3%); 
  • 341,44 mil de imóveis (15,2%); 
  • 94,95 mil de serviços (48,0%); 
  • 101,69 mil de veículos pesados (17,9%); 
  • 69,44 mil de eletroeletrônicos e outros bens móveis duráveis (39,3%).

Consórcio Vale a Pena? 

Os consórcios podem ser muitas vezes subestimados pelos economistas, mas podem ser também denominados como uma espécie de poupança com um objetivo definido.

Há de se recordar que o investimento na tradicional poupança foi algo que também apresentou crescimento no ano passado. 

Mas para que um consórcio realmente valha a pena, o consorciado deve ter paciência. Essa é uma forma de juntar patrimônio com um objetivo extremamente específico.

O entendimento essencial é saber que essa modalidade de investimento é de longa duração. Em um consórcio de imóveis, por exemplo, o prazo médio é de 213 meses; em veículos, 86 meses. 

Três situações também precisam ser levadas em conta por quem deseja ingressar em um consórcio: 

  • Não ter o dinheiro para executar o pagamento do bem à vista 
  • Não ter urgência para ter posse desse bem 
  • Admitir que não tem disciplina para investir todos meses em uma aplicação 

Como Funciona um Consórcio? 

Existem consórcios para os mais variados tipos de bens, mas a grande maioria está direcionada à aquisição de automóveis, motocicletas e imóveis.

Basicamente, a pessoa que ingressar em um consórcio vai pagar o valor do bem desejado e uma taxa de administração, da ordem de 18%. O montante será diluído em parcelas.

E por serem muitas vezes mais adequadas ao orçamento, as parcelas do consórcio acabam atraindo o investidor de perfil tradicional.

No papel, naquela hora de fazer as contas finais do investimento total que será aplicado, aderir a um consórcio pode ser muito mais vantajoso que contrair um financiamento. 

Qual é o Principal Ponto Negativo de um Consórcio? 

A incerteza. Por vezes, tudo depende da sorte. Um consorciado pode tomar posse do bem um mês depois de assinar contrato. Isso acontece porque todo mês há um sorteio que contempla um dos integrantes.

Outros, por sua vez, só adquirem o objetivo planejado após o pagamento de todas as prestações. Há ainda a opção de um lance. O consumidor que oferecer um valor maior, leva o bem.

Esse dinheiro aplicado como se fosse um leilão é abatido no custo final do bem adquirido. 

Cuidados na Hora de Ingressar Em Um Consórcio 

Como qualquer modalidade de investimento, o crédito precisa ser aprovado. De preferência, faça essa análise de forma prévia para evitar que você seja, por exemplo, sorteado com o bem e fique impossibilitado de adquiri-lo porque teve o perfil de crédito recusado.

Dessa maneira, você só vai conseguir colocar as mãos no bem planejado quando finalizar todas as prestações.

Quando for ingressar em um consórcio, verifique a credibilidade da administradora. Uma das melhores formas de checar a idoneidade é acessando o site do Banco Central e pesquisar se a administradora do consórcio está regularizada.

Ao fazer isso, você vai se certificar se a empresa é segura e legalizada. Pesquise também por outras avaliações na internet sobre a administradora e clientes que relataram experiências sobre entrega e pagamento dos bens. 

Quer saber mais sobre consórcio? Recomendamos que leia esse post para saber as melhores opções para você. 

1 Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*