Educação Financeira Infantil: tudo o que você precisa saber para inserir seu filho no mundo das finanças

Criar filho para o mundo passa pela educação financeira infantil. Você já ouvir falar nisso? Sabe como aplicar na prática?

Educação infantil vai muito além da mesada
Por: Da Redação em 13/04/2021

Se você veio de uma geração que não aprendeu o valor do dinheiro em casa ou na escola, esse artigo é para você. O dinheiro é a principal forma de troca no mundo de hoje,

O problema é que só vamos lidar com a importância do dinheiro depois de adultos (muitos vezes, já em situação de endividamento), o que pode ser um grande problema.

Ao aprendermos sobre o dinheiro, como utilizá-lo e sua importância ainda na infância, podemos criar seres humanos que serão mais prósperos quando o assunto é grana. 

Mas como falar de um assunto tão delicado com as crianças? Parece um tema de difícil abordagem e aprendizado, mas não precisa ser.

Mesmo sem autonomia, as crianças já lidam com dinheiro desde pequenas, ao pedirem coisas aos pais ou ao comprarem algo com um dinheiro dado pela avó.

Se elas soubessem como o dinheiro é importante, já poderiam usar o dinheiro de forma mais inteligente. É isso que vamos ensinar hoje. Mas, primeiramente:

Educação financeira infantil: falando de grana com os pequenos

Vamos relembrar: educação financeira é um estilo de vida. É uma forma de reprogramar a mente para lidar com o dinheiro de forma saudável e não ser uma mente dependente dele. Se educar financeiramente é essencial para ter uma vida plena e feliz.

Que diferença isso faz na vida de uma criança? Os comportamentos dos adultos são imitados pelas crianças. Os pais são um espelho para os pequenos e eles escutam e entendem boa parte do que é conversado no dia a dia.

Sabe aquela conversa de que “isso é coisa de adulto”?. Ela não deve existir quando o assunto é dinheiro. 

Por essa razão que as crianças devem ser incluídas no planejamento financeiro familiar. Antes de iniciar a educação financeira dos seus filhos, você deve estar educado financeiramente.

Para isso, indicamos um artigo que falamos sobre como fazer o seu planejamento financeiro. É só clicar aqui. 

Educação financeira  infantil: introduzindo a criança às finanças

Obviamente que falar com crianças sobre dinheiro não é igual a conversar com adultos. Nessa hora, vale muito a criatividade, sem perder a importância do tema e também materiais especializados para os pequenos. 

Mas qual é a idade correta para falar de dinheiro com crianças? Isso vai depender muito dos pais, mas o ideal é que isso seja feito quando ela já está em pleno desenvolvimento e já consegue conversar sem grandes dificuldades.

Isso pode variar de criança para criança, o correto é que a conversa seja fluida para que a mente dela não fique sobrecarregada com um assunto tão difícil. 

A média de idade para que os pais iniciem uma educação financeira na criança é a partir dos 5 anos. É claro que, antes disso, ela já tenha tido contato com o dinheiro, mas é a partir dessa idade que um estudo mais corriqueiro pode ser aplicado. 

Mesada: incluir ou não na rotina da educação financeira infantil?

É preciso deixar de ver a mesada como uma regalia ou coisa de criança mimada. A mesada é uma forma de educar. Apesar da pouca idade, as crianças já podem ter uma noção de independência a partir do momento em que lidam com o dinheiro.

Essa também é uma forma de estimular as próprias decisões, fazendo com que elas pensem sobre o que é melhor para elas. 

A partir do estigma quebrado sobre a mesada, você pode estipular um valor semanal. Você não precisa dar à criança um valor alto, até porque ela não possui ambições caras iguais aos adultos.

Com 10 reais por semana você já é capaz de fazê-la entender a importância do dinheiro. 

Mas atenção. A mesada não deve ser uma forma de regular a responsabilidade dos pais com coisas básicas, como roupas ou o lanche da escola, por exemplo. Ela pode ser aplicada para um brinquedo que está na moda e ela quer muito. 

O que a educação financeira infantil vai ensinar ao seu filho?

São grandes as chances do seu pequeno crescer de forma independente e consciente ao introduzir a educação financeira em sua vida.

Somos ensinados a fazer a vontade das crianças, mas ao trabalhar com uma mesada, elas entendem que os pais não são caixas eletrônicos e que alcançar os seus objetivos requer paciência. 

Logo, paciência e disciplina serão aprendidos naturalmente por meio da educação financeira. O raciocínio e a capacidade de tomar boas decisões também estão incluídas, já que elas precisarão pensar mais antes de decidirem comprar algo.

A educação financeira também forma crianças menos impulsivas, o que pode fazer uma grande diferença no futuro. 

Ao ir ao mercado, por exemplo, explique porque um produto está sendo escolhido, ao invés de outro. A criança também precisa entender a diferença de preço e valor. Muitas vezes, o barato sai caro. Ela logo entenderá a importância do custo X benefício. 

Educação financeira infantil: para além da mesada

Nós adultos lidamos com a poupança durante um bom tempo. As crianças podem lidar com a própria poupança também, chamada cofrinho. Um jeito clássico de fazer a criança entender a importância de guardar dinheiro. 

Você pode estimulá-la até mesmo a guardar parte da mesada no cofrinho. Com a ajuda dos pais, também é preciso estipular um prazo para que ele seja aberto.

O cofrinho pode ser enchido com dinheiro que a criança recebe dos avós, por exemplo, ou o famoso troco em moeda que nenhum adulto gosta de guardar. 

Com esse método, a criança também entende como é importante investir no futuro e consegue balizar melhor a passagem de tempo, sem ser tão imediatista para conseguir o que quer. 

Educação financeira infantil: materiais e brincadeiras

Se seu filho já tem idade para ler e fazer contas matemáticas básicas, é o momento de introduzir alguns brinquedos e brincadeiras que envolvam dinheiro. O Jogo da Vida e Banco Imobiliário são ótimas opções. 

Também existem livros ilustrados e de fácil linguagem sobre educação financeira disponíveis para as crianças. Além de ensinar a lidar com dinheiro, você também estimula seu filho a criar o hábito da leitura. 

O papel dos pais no processo de educação financeira infantil

Educar uma criança de forma básica já é uma tarefa que exige tempo e dedicação. Por isso, ao introduzir a educação financeira para seu filho, você precisa ter em mente que precisará de tempo e paciência.

Sempre lembre-se também que o seu filho tem os pais como exemplos. Além dos ensinamentos que você vai passar sobre o dinheiro, ele também precisa ver essa mágica acontecer dentro de casa.

Você tem filhos? O que acha de aplicar a ideia de educação financeira com seus filhos? Deixe sua opinião nos comentários.

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*