Seguro Residencial: tudo sobre a cobertura do imóvel

Por: Da Redação em 14/08/2021
seguro residencial

O seguro residencial, embora seja uma proteção muito valiosa para a casa, ainda traz muitas dúvidas para as pessoas, que querem saber como ele funciona, como pode ser contratado e, se de fato, é um investimento. Nesse texto vamos falar sobre o seguro residencial e já podemos te adiantar: ele é um investimento, sim! E pode ser uma verdadeira mão na roda em várias situações.

Por conta da pandemia e das restrições sociais, as pessoas passaram a ficar quase o tempo todo dentro de casa. Aliás, a casa virou escritório com a adoção do home-office. Como as prioridades se voltaram à residência, o brasileiro viu a necessidade de investir na proteção do imóvel. 

Segundo dados da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), a procura pelos seguros residenciais cresceu no Brasil. Em junho de 2020, houve alta de 8,87% na demanda por esse tipo de serviço em relação ao mesmo período de 2019.

Pelo fato de ficarem mais em casa, as pessoas passaram a cozinhar mais, a usar com mais frequência os equipamentos eletrônicos, trazendo assim mais riscos de eventuais curtos circuitos (dependendo das condições elétricas), pane desses equipamento, além de risco de incêndio com as tarefas domésticas (ferro de passar e fogão). O seguro residencial, então, acabou sendo algo muito importante.

Como funciona o seguro residencial?

Dependendo da cobertura escolhida, o seguro residencial cobre incêndios, roubos e furtos, danos elétricos, equipamentos eletrônicos, queda de raio e explosão de qualquer natureza, entre outras coisas. 

Um dos benefícios da maioria desses seguros é a possibilidade de acionar serviços emergenciais como chaveiro, eletricista e encanador naqueles imprevistos que podem acontecer no imóvel. Veja abaixo algumas coberturas que podem ser muito interessantes para você! Entre as empresas que fornecem o seguro residencial estão a Porto Seguro, Bradesco Seguros, Santander, BB Seguros e Itaú.

Negócios em casa

Essa cobertura é indicada para quem tem um negócio funcionando dentro de casa, como os microempreendedores (com ou sem CNPJ) e profissionais liberais.

Geralmente, essa cobertura do seguro residencial ampara desde escritórios a pequenos comércios, protegendo ferramentas, móveis, equipamentos e materiais de imprevistos como incêndio, explosão, roubo ou furto, entre outros.

Perda ou pagamento de aluguel

Alguns seguros residenciais também têm uma cobertura que garante a perda ou pagamento de aluguel. Funciona assim: se seu imóvel sofreu com enchentes, por exemplo, a seguradora vai arcar com o aluguel em uma residência provisória.

Dessa forma, você fica confortável em outro lugar e ainda tem tempo de arrumar os estragos na sua casa.

Quebra de Vidros

Ao contratar essa cobertura, o seguro indeniza um valor para a reposição dos vidros danificados como box de banheiro, vidros de varandas e até cooktop. Também está amparada a quebra de espelhos e louças sanitárias.

Roubo ou furto de bens

Uma das coisas mais importantes é a questão dos furtos e roubos que podem acontecer numa residência. No caso, essa cobertura protege sua casa de assaltos e ampara seus bens que foram roubados, furtados ou danificados, além de eventuais danos que tenham ocorrido no imóvel durante a invasão de criminosos.

Para que o seguro pague a indenização, é fundamental que haja vestígios de crime no imóvel e que se comprove que o bem furtado ou roubado existia antes desse fato. Boletim de ocorrência é uma exigência.

Roubo ou furto da bike

O seguro residencial também pode proteger a sua bicicleta (inclusive os modelos elétricos) seja dentro da sua casa, condomínio ou escritório ou fora de casa, quando você estiver na rua pedalando e for vítima de um assalto.

Danos elétricos

Queda de raio e oscilação de energia podem trazer verdadeiros transtornos domésticos, como a queima de eletrodomésticos e um baita prejuízo financeiro.

Uma das coberturas dos seguros residenciais é justamente a de proteção a danos elétricos. Essa cobertura garante a reposição de aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos que queimarem por curto-circuito, queda de raio e até por oscilação de energia.

Diferença entre seguro incêndio e seguro residencial

Muita gente tem dúvidas a respeito das diferenças entre seguro incêndio e seguro residencial. Embora tratem de proteção extra para um imóvel, são coisas distintas.

No caso do seguro incêndio, dependendo do modelo e da cobertura contratada (básica ou versão mais completa), o contratante do seguro terá o reembolso do material perdido durante o incêndio. Como o próprio nome diz, o seguro é só para casos de incêndio, ocorridos de forma involuntária.

Já os seguros residenciais têm vários tipos de cobertura, a depender da seguradora. Algumas opções cobrem inclusive incêndio, queda de raio dentro do terreno do imóvel do segurado, explosão de qualquer natureza e até queda de aeronave. 

Outros, no entanto, também oferecem serviços emergenciais extras como chaveiro, encanador ou eletricista, por exemplo, além de proteção contra fenômenos da natureza, como queda de árvore por conta de vendavais, chuva de granizo, etc.

Seguro residencial é investimento

É importante ressaltar que qualquer seguro é uma proteção e um investimento. Não é um gasto aleatório. 

Os seguros residenciais podem ser muito mais acessíveis do que você imagina. Vai depender do tipo de cobertura e também da seguradora que você escolher. 

Portanto, antes de escolher as coberturas e serviços extras, avalie se há, realmente, a necessidade dessas coisas, pois o seguro pode encarecer. De repente, para o seu perfil e reais necessidades, as coberturas básicas já são suficientes.

Vale lembrar, ainda, que há situações em que os imóveis não podem ter seguro residencial. São elas:

  • Imóveis em construção
  • Imóveis usados como alojamento
  • Imóveis destinados para “repúblicas”
  • Imóveis construídos para materiais combustíveis
  • Imóveis tombados pelo patrimônio histórico e cultural.

Dicas antes de fazer o seguro residencial

  • Antes de escolher a seguradora, visite o site da Superintendência de Seguros Privados (Susep) para verificar se a empresa é credenciada no órgão. Não faça negócio se a empresa não for credenciada;
  • Saiba exatamente o que você precisa para seu imóvel (que tipo de proteção é a sua necessidade);
  • Leia atentamente as cláusulas da apólice;
  • Preencha corretamente todos os dados do formulário para contratar o seguro (seja transparente no preenchimento das informações para a seguradora analisar corretamente os riscos do seu imóvel). Por exemplo, se você tem uma pastelaria na garagem da sua casa, os riscos de um incêndio ou explosão são maiores do que outros imóveis.
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*