O que é BRL? Entenda a sigla comum na fatura do seu cartão

Descubra agora o que é BRL e como essa sigla influencia nas suas compras online.

Por: Ariane Terrinha em 25/04/2024
notas de BRL

A sigla BRL acaba surgindo diversas vezes nos sites de compras internacionais, mas você sabe o que ela significa?

Caso ainda não conheça essas letras e nem o que elas representam, não se preocupe, pois você está no lugar certo! 

Pois, aqui nós te contamos tudo sobre BRL, o que ela significa e como funciona! 

O que é BRL? 

Ao se deparar com certas palavras na internet, podemos ficar confusos com seus significados. 

Assim, como vem acontecendo com a sigla que aparece direto para quem costuma fazer compras online, o BRL

O que parece ser muito complexo, é apenas a representação do real brasileiro

Algumas pessoas podem até achar que o “R$” é o nosso código monetário, mas é apenas o símbolo da moeda.

Assim, o BRL é a representação oficial do real em compras internacionais. Ou seja, uma estimativa do valor da moeda no momento da transação.

Ele é um código colocado no padrão ISO 4217. Este padrão internacional é utilizado para definir códigos de três letras para as moedas, estabelecido pela Organização Internacional para Padronização.

Códigos de moedas de outros países

Ao perceber a sigla BRL em algum site ou aplicativo estrangeiro, é bem provável que você tenha se deparado com outros códigos ISO que também são muito comuns.

Pensando nisso, vamos trazer uma lista com os códigos das 15 principais moedas do mundo, em ordem de volume de negociações. Confira:

  • USD – Dólar americano
  • EUR – Euro
  • JPY – Iene japonês
  • GBP – Libra esterlina
  • AUD – Dólar australiano
  • CAD – Dólar canadense
  • CHF – Franco suíço
  • CNY – Yuan chinês
  • SEK – Coroa sueca
  • NZD – Dólar neozelandês
  • MXN – Peso mexicano
  • SGD – Dólar de Singapura
  • HKD – Dólar de Hong Kong
  • NOK – Coroa norueguesa
  • KRW – Won sul-coreano

Mas vale lembrar que esses são apenas alguns exemplos, pois, atualmente, existem cerca de 180 moedas reconhecidas como oficiais e em uso pelos países e territórios em todo o mundo.

Como regra, cada país tem a sua própria moeda, embora existam casos em que vários países compartilham uma moeda única, como é o caso do Euro, na chamada “Zona do Euro”.

Onde aparece o BRL?

Como estamos acostumados a lidar com siglas estrangeiras, podemos cair no erro de achar que esta é mais uma delas.

Ao ter o primeiro contato com esta sigla, parece coisa exclusiva dos gringos, não é mesmo? 

E sim, pode acontecer com frequência o aparecimento desta sigla em sites estrangeiros, mas não de forma exclusiva. 

Já que esta sigla também pode ser usada em sites nacionais, apenas para representar o Real. Então, não se confunda e aprenda abaixo qual a diferença dela para o R$.

Por que o BRL é diferente do Real?

Até aqui tudo bem? Que ótimo! Mas, cuidado para não cometer pequenos erros neste assunto. 

Apesar de ser algo relativamente simples, tenha em mente que BRL e Real são duas coisas distintas, apesar de serem confundidas. 

Real é a moeda brasileira que já estamos acostumados a utilizar no dia a dia.

Enquanto BRL é apenas uma estimativa de quanto o preço dos produtos vendidos custam, de fato, em Real.

Cada site pode usar uma cotação diferente para definir o valor dos produtos em reais, mas nem sempre será o mesmo que bancos e operadoras usam. 

Quais outras cobranças de compras no exterior posso encontrar na fatura?

No momento de efetuar uma compra no exterior, o banco tem até 7 úteis dias para efetuar o processamento da compra. 

Apenas após este processamento é possível saber qual a quantia que será, de fato, cobrada pela compra do produto. 

Um fator importante a ser citado é que, todos os bancos (no Brasil) devem usar a cotação do dólar do dia no momento de fazer a conversão do valor. 

Esta regra é aplicada na intenção de facilitar o momento de pagamento do comprador. 

Confira abaixo algumas outras taxas que também podem ser cobradas e saiba mais sobre o BRL.

IOF

IOF é a sigla para Imposto sobre Operações Financeiras. Você também não sabe como funciona este imposto? Fique tranquilo que aqui vamos te explicar.

O IOF é um imposto federal que visa obter um controle maior dos créditos no Brasil. Cada taxa cobrada é vista como um recolhimento proporcional dos investimentos. 

Esta taxa é cobrada em operações feitas com o cartão de crédito, na compra de câmbio e em seguros.

Também pode ser aplicada em qualquer operação titular e de valores imobiliários (Bolsa de Valores ou fundo imobiliário).

   Veja quanto é cobrado em cada uma destas operações:

  • Câmbio: 6,38% do valor usado na compra de moeda estrangeira, física ou usando o cartão internacional;
  • Seguro: o valor cobrado varia entre 7,38% e  25%;
  • Cartão de crédito, empréstimo e financiamento: É cobrado 0,38% de IOF e tem um limite de 3%;
  • Títulos e fundos imobiliários: 1,5% ao dia.

Estes números não valem apenas para quem deseja viajar ou realizar compras no exterior. 

É sempre bom que todos se mantenham atentos a estas variações de IOF, pois são pequenas porcentagens cobradas em diversos âmbitos. 

Para não ficar nenhuma dúvida, vale frisar que IOF é um imposto cobrado por operações e não é o mesmo que taxa de juros. 

Por exemplo:

Se você atrasar o pagamento da sua fatura, terá que pagar a taxa de juros e ainda o IOF para o governo.

O valor cobrado de IOF aparece na fatura final do cartão, é inevitável e não pode ser parcelado.

Taxa de operação

A taxa aplicada em compras do exterior depende de algumas variantes, entre elas está o modo de pagamento da compra.

Esta cobrança acaba sendo super importante no valor final da compra e na transação em BRL.

Assim, para quem gosta de realizar compras com o cartão no exterior, é pago 6,38% sobre o valor dessas compras em real.

Já para quem prefere o dinheiro vivo é pago apenas 1,1%.

Como fugir dessas taxas em viagens internacionais?

Talvez você não saiba, mas é possível reduzir taxas e tributos ao fazer compras fora do país, como em viagens internacionais.

Uma alternativa muito usada é o cartão pré-pago de viagem.

Com este cartão, você pode fazer recargas em reais, mas fazer os pagamentos no país de destino usando a moeda local.

Nesse caso, a operação de câmbio acontece no momento da recarga, logo, você só paga o IOF uma vez.

Além disso, você não fica a mercê da flutuação cambial no momento do fechamento da fatura do cartão de crédito.

Aqui no Plusdin, já falamos acerca de dois ótimos cartões desse tipo, que são o Pré-pago de Viagem Daycoval Câmbio e o Pré-pago Wise.

Vale a pena conferir os nossos artigos sobre esses cartões, pois eles podem te ajudar a economizar muito dinheiro nas compras feitas no exterior.

Como evitar surpresas com o BRL?

Agora que você já sabe as principais informações sobre BRL, chegou o momento de te falar quais cuidados devem ser tomados para que você não seja surpreendido com a fatura no final do mês. Confira algumas dicas:

  • Compras na moeda original: uma maneira simples e prática para evitar surpresas em sua fatura com compras no exterior, é comprar na moeda original
  • Produto na moeda de origem: procure sempre visualizar o produto que você tem interesse na sua moeda de origem, sem conversão
  • Altere a página: algumas páginas de compras já mostram direto o valor em BRL. Neste caso, procure pela página que está navegando a opção na qual seja possível visualizar o valor original

Neste artigo, abordamos as informações mais relevantes e importantes sobre BRL e IOF, citamos suas principais formas de atuação e demos dicas de como não ficar no vermelho e se enrolar com a porcentagem de imposto cobrada. 

Esperamos ter esclarecidos todas as dúvidas sobre o assunto e que as dicas sejam eficazes. 

Caso tenha restado alguma dúvida, te convidamos a perguntar logo abaixo. Nossa equipe terá o prazer de te ajudar.