Cadastro positivo: o que é, como funciona e como se beneficiar dele

Cadastro positivo: o que é, como funciona e como se beneficiar dele
Por: Da Redação em 09/02/2021

Quantas vezes você já recebeu um SMS, um e-mail ou quem sabe leu um texto falando sobre o Cadastro Positivo? Aposto que algumas, certo? Pois bem, mas por mais que o termo pareça assustador, ele nada mais é que um um histórico de seu bom comportamento como consumidor. Ou seja, são dados que identificam aqueles que são “bons pagadores”. Ele reúne várias informações sobre os pagamentos, empréstimos e financiamentos.

Em vigor desde 2011 (mas com lei complementar em 2019), o Cadastro Positivo trouxe uma revolução no mercado brasileiro. Através dele, milhares de instituições hoje conseguem montar um histórico de bons e maus pagadores, o que determina diretamente a oferta de crédito e possibilita várias vantagens aos consumidores.

Ele é baseado em vários países do mundo, como Estados Unidos, Inglaterra, China, Canadá, Alemanha, França, Japão e Itália. Agora, chegou sua vez de se beneficiar com ele. Então, venha conosco e confira como o Cadastro Positivo poderá revolucionar sua vida.

O que é o Cadastro Positivo?

O Cadastro Positivo nada mais é do que um banco de dados que é operado pelos bureaus atuantes no mercado, tais como o SPC e o Serasa. Em suma, esse cadastro nada mais é do que um grande compilado sobre os bons pagadores que temos no mercado.

Esse tipo de operação visa trazer às empresas uma análise de crédito mais personalizada e segmentada de todos os consumidores que possa atingir. Com ela, bancos e instituições financeiras poderão analisar melhor o perfil de cada solicitante, o que diminui a chance de calote e, consequentemente, as taxas de juros.

O que diz a lei por trás do Cadastro Positivo?

Em 2019, com a mudança dessa legislação que regula o setor, através da adoção da Lei Complementar 166, alguns pontos da Lei do Cadastro Positivo (12.414/2011) foram modificados. Pela lei, o Cadastro Positivo só poderá usar informações com objetivo de avaliar o risco de um calote. Por isso, é possível ter acesso ao fato de que o consumidor financiou um apartamento, mas não qual é o tipo de imóvel adquirido, quantos quartos, etc.

Outrora, para que houvesse a inclusão no Cadastro Positivo, era preciso um requerimento expresso dos próprios titulares. Com a nova legislação, a inclusão é automática e obrigatória, mas os detentores de CPF e CNPJ podem requerer, gratuitamente, que os seus dados sejam excluídos das plataformas de consulta.

Ou seja, apesar dos consumidores e empresas aparecerem automaticamente na lista de bons pagadores, o seus respectivos scores poderão ser observado apenas por empresas que estejam avaliando a concessão de crédito ou transações comerciais e empresariais que impliquem risco financeiro.

E estarão disponíveis apenas informações de histórico de pagamento de transações que envolvam risco financeiro, ou seja, operações de crédito e consumo, como datas de vencimento e de pagamento das faturas/parcelas e os valores dos mesmos

Quem comanda o Cadastro Positivo?

O Cadastro Positivo também é gerido pelos bureaus de crédito, mas com intuito diferente do serviço normalmente prestado: reunir informações sobre os bons pagadores.

O que são os bureaus de crédito e como funcionam?

Os bureaus de crédito são empresas que atuam como um centro catalisador de informações e oferecem a outras instituições seu comportamento de crédito. Na prática, com esses dados, as empresas conseguem avaliar seu histórico de pagador e projetar um potencial de risco para oferecer linhas de crédito como empréstimos, financiamentos, cartões de crédito, entre outros.

Como é calculado o Cadastro Positivo?

Os dados fornecidos para o Cadastro Positivo são compartilhados com todos os bureaus. O que será diferente é o peso dado a essa informação. Por exemplo, pode ser que um bureau considere que pagar em dia a fatura do cartão de crédito seja um indicativo mais preciso de bom pagador. Outro, porém, dá maior pontuação para o tamanho do crédito contratado.

Esse cálculo é denominado Score (ou seja, a pontuação de cada consumidor), que nada mais é do que a pontuação que mede a confiança do mercado na capacidade de cada pessoa honrar seus compromissos financeiros nos próximos 12 meses. Com base nessa nota os bancos e empresas vão aprovar a liberação ou não de crédito.

Para realizá-lo, os bureaus podem usar metodologias próprias, como a avaliação das contas pagas ou em atraso, do percentual de renda comprometido com dívidas, e até a quantidade de vezes em que os bancos e varejistas consultam a nota do consumidor. Porém, especificamente, são analisados os seguintes dados, segundo o SPC:

  • Valor total da compra;
  • Valor das parcelas;
  • Data dos vencimentos;
  • Data dos pagamentos;
  • Valor dos pagamentos;
  • Dados cadastrais do consumidor.

Quais vantagens posso ter participando do Cadastro Positivo?
Na prática, já existe um cadastro negativo, que é quando você está com nome sujo (ou negativado). Abaixo, vamos lhe mostrar os benefícios de se ter o Cadastro Positivo:

  • Se você, por exemplo, for um profissional autônomo e precisar de um financiamento, mesmo que não tenha uma comprovação de renda formal, poderá conseguir o crédito graças ao seu Cadastro Positivo.
  • A expectativa é que o Cadastro Positivo permita o acesso ao crédito a mais de 22 milhões de consumidores;
  • Para quem já tem acesso a crédito, é muito provável que a oferta aumente e as taxas de juros diminuam;
  • A ideia é que com mais pessoas tendo acesso ao crédito, a concorrência de operadoras de crédito aumente, a inadimplência diminua e os juros sejam menores.
Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*