Consumismo: o que é e como lidar com esse tipo de comportamento

Por: Pamela Gaudio em 11/05/2021
Consumismo

É sabido que boa parte da nossa sociedade vive no capitalismo, não é mesmo? Por essa razão, o consumo é alto, independente da área da sua vida.

Gastamos para praticamente tudo: lazer, comida, saúde, educação. Tudo aquilo que ganhamos no trabalho acaba indo para esses setores. E é natural que vá.

Porém, lidar com o dinheiro pode não ser uma tarefa fácil para algumas pessoas. Isso porque muitas acabam caindo em um consumismo desenfreado.

O ato de consumir, muitas vezes, desperta prazer e garante uma satisfação na vida das pessoas. No entanto, esse consumismo pode custar caro, literalmente, no final das contas. 

Você se considera uma pessoa consumista? Se você chegou até esse artigo, pode estar na dúvida se é uma pessoa consumista ou não. Continue lendo o artigo, pois vamos falar muito mais sobre o tema. 

Mas afinal, o que é o consumismo?

Consumir é um ato comum da sociedade de consumo. Porém, existe uma diferença para o consumo consciente para o nocivo. Nossa sociedade, por si só, já é consumista. Mas levar essa característica para as pessoas traz outras nuances. 

Praticamente, o consumismo é quando falamos de um consumo excessivo, sem razão de ser, sem objetivo, sem necessidade. O consumismo é caracterizado principalmente pelo exagero no consumo de bens e serviços. 

Nem tudo aquilo que compramos, realmente precisamos. Mas é claro que, dentro da sociedade de consumo, muitas vezes somos induzidos. Quer um exemplo básico?

Imagine que você comprou um celular top de linha em 2019. Com a velocidade na produção de novas tecnologias, novidades em aplicativos, gadgets, software e hardware, muito provavelmente o seu aparelho já ficou obsoleto aqui nesse momento. Ele pode até funcionar, mas não em sua plenitude. 

Daí quando falamos de consumo, a pergunta que fica é: você realmente precisa trocar de celular? A resposta pode ser sim, caso o sistema esteja sobrecarregado por conta das atualizações.

Os aplicativos pesam mais e o seu celular começa a ficar super lento. Em outros casos, a troca não é necessária, mas é preciso aproveitar as novidades do mercado. 

Saber diferenciar o consumo consciente para o excessivo pode não ser muito fácil. Geralmente, temos a tendência de pensar que precisamos daquilo que compramos. Mas, em muitos casos, isso não é uma realidade. 

Como saber se sou uma pessoa “vítima” do consumismo?

Se você não sabe se é ou não uma pessoa consumista, existem alguns comportamentos que podem te ajudar a identificar essa característica em você. 

Está sempre em busca de novidades e marcas

Uma pessoa consumista está sempre em busca dos lançamentos e grandes marcas famosas no mercado. A motivação da compra não é tanto o produto em si, mas o que ele significa socialmente.

Não se trata da compra de um produto, mas sim da marca, da novidade, do status que aquele produto te confere. É quando a funcionalidade fica em segundo plano. E isso nos leva ao próximo tópico.

Necessidade de aprovação

Quando o consumista compra um celular do momento, ou roupas, ou qualquer outro produto com o objetivo de ostentar e fazer parte de um determinado grupo.

Na sociedade atual, possuir alguma coisa te eleva para um status diferenciado entre a galera.

Desse modo, você compra algo esperando comentários positivos, olhares interessados, buscando chamar a atenção dentro do seu grupo social. É como se o produto fizesse parte da sua personalidade. 

Suprir necessidades emocionais

Muitas pessoas descontam no consumo como uma forma de lidar com os problemas da vida. Isso é visto muito em filmes, onde um banho de loja no shopping resolve tudo em um passe de mágica.

Se você compra algo pensando em se sentir melhor, ou para se distrair de uma situação específica em sua vida, provavelmente você é uma pessoa consumista.

Não estamos falando sobre comprar uma cervejinha no fim do expediente, após um dia cansativo de trabalho. Trata-se de algo bem mais profundo, quando a compra se transforma em solução para praticamente tudo, como forma de aliviar o estresse instantaneamente. 

Como deixar de ser uma pessoa refém do consumismo?

Se você se identificou com esta característica e acredita que isso tem afetado sua vida financeira de forma negativa, saiba que você não está sozinho e é possível sair dessa situação.

Ao deixar de ser uma pessoa consumista, você conseguirá usar o seu dinheiro de uma maneira muito mais produtiva para a sua vida. 

Aprenda sobre educação financeira

Esse é o primeiro passo para quem quer deixar de ser consumista.

Muitas pessoas não tiver noções básicas de finanças ao longo da vida e acabam gastando seu dinheiro de forma errada.

Por isso, invista em se educar financeiramente, lendo sobre o tema, vendo vídeos e até mesmo fazendo cursos gratuitos sobre educação financeira. Existem muitas opções gratuitas na internet que podem te ajudar. 

Seja mais analítico e menos impulsivo

Quando você aprende sobre educação financeira, você também desenvolve uma capacidade analítica, o que impede com que você compre por impulso.

Quando você pensa antes de comprar algo, você compara, pesquisa e opta por uma opção melhor ou até mesmo identifica que esse consumo não é necessário. 

 Converse sobre o problema

Se você se identificou como uma pessoa consumista, conversar sobre o assunto pode te ajudar a superá-lo de forma mais saudável. Converse com um terapeuta ou com pessoas que já passaram pelo mesmo problema que você.

Procure sugestões de como lidar com o consumo desenfreado com outras pessoas que possuem mais controle quando o assunto é dinheiro. 

Consumindo de forma consciente

Se você chegou até aqui, já sabe lidar com o problema do consumo excessivo. Quando você passa a ter gastos mais consciente, você entende a razão pela qual aquele produto é necessário no seu dia a dia e também passa a aplicar melhor o seu dinheiro. 

O consumo consciente também fará com que você economize mais grana, podendo investir em objetivos mais assertivos para a sua vida, do que só adquirindo coisas por impulso de maneira despretensiosa. Valorize o seu dinheiro!